sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Como usar a dipirona?

“Tenho uma irmã que acabou de descobrir um câncer de mama em fase avançada. Antes que todos os exames estejam prontos e ela inicie a quimioterapia, o médico neurologista receitou Codein de 12 em 12 horas. Mas falou que, se a dor estivesse insuportável, poderia tomar Novalgina entre os intervalos. Existe um limite para essa Novalgina. Minha irmã está tomando praticamente de 3 em 3 horas e penso que isso pode provocaralgum problema".



A dor é um mecanismo importantíssimo à vida, ela nos mostra que algo está errado. Assim, um jogador que quebra o pé, ao sentir dor, pára de jogar, o que evita que a lesão piore.
Aparentemente muito simples, não?! Contudo, a “dor” apresenta mecanismos fisiológicos riquíssimos e complexos.
De modo simplificado, entendemos que a dor depende de duas regiões – a “região afetada” (como o pé quebrado, no caso do jogador) e o “encéfalo” (região do sistema nervoso localizado no crânio), o qual é responsável por interpretar a dor (diferenciá-la de um simples toque não doloroso, por exemplo).
Mas “quem leva a informação da região machucada até o encéfalo?”. Pois bem, essa condução de informação é responsabilidade dos nervos, mais especificamente de células chamadas neurônios. São essas células que (entre muitas outras funções) percebem que “estamos sendo machucados” e levam a informação para o cérebro tomar conhecimento.
Sabendo disso conseguimos entender porque o estado emocional influencia na intensidade com que sentimos uma dor (a situação emocional faz com que o cérebro “interprete” a sensação de dor de formas distintas), ou porque algumas pessoas com lesão na medula não sentem os pés (o fio de neurônios que levaria a informação ao cérebro foi rompido)!

A Novalgina (produzida pela Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda) é um produto farmacêutico que contém o princípio ativo dipirona sódica. A dipirona atua como analgésico (alivia dores). Não se sabe ao certo como a dipirona age, mas suspeita-se que ela tenha influência tanto na região afetada (efeito periférico) quanto no cérebro (efeito central). A Dipirona também atua como antipirético, ou seja, ela age evitando e tratando quadros de febre (atuando no bulbo, uma outra região do encéfalo que controla a temperatura do corpo).

Para a maioria dos medicamentos, espera-se que aumentando a dose, os efeitos também aumentem. Contudo, ao aumentarmos a dose elevamos também as chances e intensidade dos efeitos indesejáveis. Assim, ao estudar-se um medicamento, busca-se uma dose que tenha efeito suficiente (nesse caso, alívio da dor) e que cause o menor número de efeitos indesejáveis!
500mg de dipirona, tomados de 6 em 6 horas, são suficientes para alivio da maioria das dores simples.
Recomenda-se usar no máximo quatro doses de 1000mg por dia (de 6 em 6 horas). Essa é a "dose máxima recomendada" para um adulto. Ultrapassando essa dose, o risco de efeitos adversos passa a ser grande e o acréscimo na dose traz poucos benefícios.
Para a dipirona é, então, aceitável que se tome até 500mg de três em três horas (dose máxima), mas por períodos não muito longos.
Atenção! Não devemos tomar mais do que 1000 mg de uma só vez (mesmo que menos vezes ao dia), a não ser sob orientação de um profissional capacitado.
Pacientes que já tenham apresentado algum tipo de reação alérgica/anafilática ou crises de asma após uso de algum analgésico, apenas devem usar dipirona sob supervisão médica.
O uso de dipirona pode, ainda, causar quadros de diminuição da pressão arterial. Caso esses quadros possam oferecer algum risco ao paciente, ele não deve usar dipirona.

Em sua pergunta, o leitor faz alusão, ainda, ao medicamento CODEIN (produzido por Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos), cujo princípio ativo é o fosfato de codeína, um analgésico pertencente à classe dos opióides. Os opióides agem inibindo a condução da dor até o cérebro e também interferem na forma como interpretamos a dor! Eles são fármacos potentes e somente são vendidos com prescrição médica adequada, visto que podem apresentar efeitos adversos perigosos e dependência (efeitos raros no caso da codeína).

Em caso de dor forte ou persistente, deve-se procurar um médico especialista para pesquisar a causa da dor e decidir, assim, o tratamento mais adequado!



Referencias:
- As doses recomendadas nesse texto fora retiradas da bula da própria Novalgina, a qual pode ser acessada pelo portal da anvisa - http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/BM/BM[26428-1-0].PDF (Acessado em 15 de agosto de 2011).


Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>