terça-feira, 6 de março de 2012

Polivitamínicos podem ser utilizados por diabéticos?


“Qual polivitamínico que pode ser utilizado por paciente diabético? O Stresstabs® 600 com Zinco e Complexo Ômega A-Z®, por exemplo, podem?”

As necessidades diárias de vitaminas e sais minerais variam de forma considerável ao longo de toda a vida humana. Crianças e adolescentes tem necessidades diferentes das grávidas, dos idosos ou de qualquer outro grupo. A avaliação para o uso de vitaminas e minerais deve incluir o metabolismo individual, a etapa da vida (crescimento, gravidez, menopausa, etc), presença ou ausência de doenças, situações de desgaste físico, estresse, poluição ambiental, rotina de alimentação, consumo de álcool, tabaco ou uso de outros medicamentos.

Nas farmácias, encontramos polivitamínicos e minerais para as mais diversas indicações. Existem produtos específicios para adultos, outros destinados exclusivamente para mulheres, produtos para crianças, produtos apenas com vitaminas do complexo B, produtos com complexos antioxidantes, ou a base de vitamina C, ou ainda, a base de cálcio + vitamina D. No entanto, não existe nenhum produto destinado exclusivamente para pacientes diabéticos.

A primeira vista, o paciente diabético, quando começar a utilizar esse tipo de produto, deve ter atenção aos componentes da formulação. Mais precisamente em relação a presença de açúcares (glicose) como excipiente dos comprimidos. O consumo de produtos que contenham açúcar pode interferir no controle adequado da glicemia, portanto o paciente diabético deve ter a ingestão de açúcar controlada. Todo medicamento ou produto para consumo humano deve ter, obrigatoriamente, no rótulo, informações sobre a presença de açúcares em sua composição . O Stresstabs® 600 com Zinco (Produzido pela Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda) não contém glicose como excipiente e nenhum alerta é apresentado para pacientes diabéticos. De maneira semelhante, o Complexo Ômega A-Z® (Comercializado pela Cifarma Científica Farmacêutica Ltda) também não contém glicose na formulação e não trás nenhum alerta aos pacientes diabéticos.

Alguns estudos demonstraram que existe uma relação entre as vitaminas e sais mineirais com o paciente diabético. Uma pesquisa realizada com pacientes diabéticos quantificou os níveis de vários sais minerais e determinou que a quantidade de Zinco, Magnésio e Cromo na corrente sanguínea estava abaixo dos valores ideais, prejudicando a função que eles apresentam no organismo. Pacientes diabéticos que apresentam baixa concentração de zinco apresentam um pequeno risco de sofrerem de doenças cardíacas, como um ataque cardíaco. Já em relação as vitaminas, sabe-se que o uso de antidiabéticos orais, como a metformina, reduzem as concentrações da vitamina B12. Dessa maneira, pacientes sujeitos a tratamentos prolongados com metformina devem monitorar os níveis dessa vitamina para evitar uma avitaminose B12.

Alertamos aos pacientes que se informem mais sobre quais produtos e medicamentos utilizam e o que eles contém em sua formulação, pois algum componente pode provocar intensas alergias para alguns, mas serem inofensivos para outros. É importante que a bula e demais informações sejam esclarecidas aos pacientes, nesse aspecto o farmacêutico é o principal conselheiro do paciente. No entanto, para indicações mais específicas, diagnósticos e tratamentos mais adequados cabe ao médico acompanhar e orientar o paciente.

Aproveitando a dúvida sobre a utilização de polivitamínicos alertamos para o risco de ocorrer hipervitaminose quando há o consumo exagerado desses nutrientes. Existem dois tipos de vitaminas: as solúveis em água (hidrossolúveis) e as solúveis em gordura (lipossolúveis). O excesso de vitamina hidrossolúvel é excretado pelo organismo, naturalmente, através da urina, diminuindo, assim, o risco de intoxicação. Entretanto o mesmo não ocorre para as vitaminas lipossolúveis. O excesso de vitamina A pode ser teratogênico (promover mal formações fetais). Já, o excesso de vitamina D pode promover hipercalcemia originando cálculos renais e em outras partes do organismo. A vitamina E em excesso facilita sangramentos por aumentar o tempo necessário para o sangue coagular (aumenta o tempo de protrombina).


Referências:
  • Wyeth Brasil. Stresstabs 600 com Zinco, bula de informação ao paciente. Disponível para acesso em: http://www.pfizer.com.br/arquivoPDF.aspx?197,pdf
  • Cifarma. Complexo Ômega A-Z, informação ao paciente. Disponível para acesso em: http://www.cifarma.com.br/index.php?option=com_produtos&task=detalhes&id=130
  • Roche. Vitaminas: uma actualização. Lisboa, Portugal, 1993.
  • Soinio, M. et al. Serum zinc level and coronary heart disease events in patients with type 2 diabetes. Diabetes Care, v.30(3), 2007.
  • Tasneem, G.K. et al. Copper, Chromium, Manganese, Iron, Nickel, and Zinc Levels in Biological Samples of Diabetes Mellitus Patients. Biol. Trace Element Research. v.122(1), 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>