Cadastre seu e-mail!

Pesquisar

Alergia: veja quais as opções de tratamento na farmácia mais próxima!

Compartilhe!
Muitos consumidores têm dúvidas em qual tratamento seguir quando a crise alérgica ataca de maneira inesperada! Na drogaria do bairro, ou até mesmo nas bolsas e na famosa “farmacinha” - o que não falta são opções terapêuticas para aliviar os sinais e sintomas alérgicos. 

Background image created by Freepik
O assunto já foi tratado aqui no PhResponde para explicar melhor os detalhes entre a loratadina e a desloratadina, substâncias que controlam a liberação de histamina (um dos mensageiros que agravam a crise alérgica). 

Quando nosso corpo entram em contato com o que tem potencial de causar alergia (poeira, mofo, pólen e pelos de animais) há uma grande e imediata liberação de histamina e ela é a responsável pelos sintomas alérgicos. Por exemplo: no nariz, a histamina causa prurido (coceira – essa ação, também, é observada na pele) e espirros. A histamina também age sobre os vasos sanguíneos aumentando o diâmetro ou dilantando-os para permite a passagem de líquido do interior desses vasos para o tecido do nariz, resultando em edema (inchaço) e no famoso “nariz entupido”, além de estimular algumas glândulas a liberarem uma substância conhecida como muco, o que causa a coriza, ou seja, faz o “nariz escorrer”. 

Nos pulmões, a histamina causa a dificuldade de respirar ou a falta de ar tão comum nas reações alérgicas. Como se não bastasse, ela estimula células inflamatórias e a liberação de outras substâncias que vão iniciar um processo de inflamação. Para exercer esses efeitos, a histamina tem que se ligar em alguns lugares específicos nas células (algo como chave e fechadura, conhecido como receptores). É sobre esses receptores que os medicamentos controlam a crise alérgica.

O cloridrato de fexofenadina (fexofenadina - princípio ativo do medicamento AllegraⓇ - Sanofi-Aventis) e desloratadina (princípio ativo do medicamento DesalexⓇ - Merck Sharp & Dohme) são capazes de bloquear a ação da histamina por atuarem sobre o mesmo receptor. Estudo clínico realizado com mais de 500 pacientes identificou que não há diferença entre a opção terapêutica, isso quer dizer que tanto a fexofenadina quando a desloratadina controlam a crise alérgica de maneira igual. São semelhantes!(1) Porém quando a avaliação das substâncias é feita sobre o tempo logo após administração do medicamento, a fexofenadina é mais rápida que a desloratadina para diminuir as manifestações alérgicas.(2)

As duas moléculas também são seguras em relação a não provocar sono ou sensação de sedação/sonolência durante a administração diurna.(3) Mesmo assim, tenha mais atenção ao dirigir ou operar máquinas quando estiver fazendo uso de medicação que tenha essas substâncias. 

Atenção durante a amamentação, pois as duas substâncias também estarão presentes no leite materno e podem portanto ter ação não desejável direta sobre o recém-nascido.

Consulte o seu farmacêutico! Converse com ele sobre quais outros medicamentos está fazendo uso e há quanto tempo a crise alérgica está incomodando! Não faça automedicação, pois ao invés de melhorar os sinais, você pode manifestar outros efeitos adversos!

Referências:
1- Berger, W.E. et al..Efficacy of desloratadine, 5 mg, compared with fexofenadine, 180 mg, in patients with symptomatic seasonal allergic rhinitis. Allergy Asthma Proc. 27(3), 2006.(https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16913264)
2- Meltzer, E.O & Gillman, S.A.Efficacy of fexofenadine versus desloratadine in suppressing histamine-induced wheal and flare. Allergy Asthma Proc. 28(1), 2007. (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17390761)
3- Wilson, A.M. Effects of fexofenadine and desloratadine on subjective and objective measures of nasal congestion in seasonal allergic rhinitis. Clinical Experimental Allergy, 32(10), 2002.(https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1046/j.1365-2745.2002.01509.x)

Compartilhe!

Medicamentos

Deixe um comentário:

0 comments: