quinta-feira, 1 de setembro de 2011

E se a menstruação não vier?

“Olá, preciso saber se o medicamento anticoncepcional injetável (Mesigyna) que eu tomo pode interferir no meu ciclo menstrual? Pois já tem 4 meses que não menstruo e também não estou grávida!”


Os anticoncepcionais injetáveis que contém enantato de noretisterona 50 mg e valerato de estradiol 5 mg, como o Mesigyna® (produzido pela Bayer-Schering), são administrados uma vez a cada mês pela via intramuscular. A primeira injeção deve ser administrada no primeiro dia de um ciclo menstrual, ou seja, no primeiro dia da menstruação. As injeções seguintes devem ser administradas, independentemente do padrão menstrual, em intervalos de 30 (mais ou menos 3) dias, isto é, no mínimo 27 e no máximo 33 dias. Porém, algumas farmácias aceitam administrar o produto apenas no 30º dia após a aplicação anterior, ou seja, exatamente no dia certo; nem antes, nem depois. Depois dos 33 dias não se pode contar com o grau de segurança contraceptiva necessário. Ou seja, diminui a ação contraceptiva e o risco de engravidar aumenta. Uma ou duas semanas após a primeira injeção poderá ocorrer sangramento vaginal. Com a continuação do tratamento, os episódios de sangramento serão, geralmente, em intervalos de 30 dias. Se dentro dos 30 dias posteriores à administração do produto não ocorrer sangramento, deve-se afastar a possibilidade de gravidez por meio de teste adequado.

Anticoncepcionais desse tipo, como o Mesigyna®, têm como um de seus efeitos adversos a amenorreia, que é a ausência de menstruação por 6 meses em uma mulher em idade reprodutiva e que menstruava regularmente. Esse efeito adverso pode ocorrer pelo fato de anticoncepcionais injetáveis apresentarem um perfil de liberação prolongada, podendo, portanto, ficar retidos no corpo por mais tempo que o desejável, ou por interação com outros anticoncepcionais que foram usados anteriormente. Exatamente por essas questões, a privação da menstruação pode variar sem que ocorra necessariamente a amenorreia, pode ocorrer a privação por três ou quatro meses, por exemplo. Nesses casos, consultar um médico é necessário, já que não é só o medicamento que pode causar amenorreia ou a simples privação da menstruação. Mais uma vez, é importante que com o passar do primeiro mês sem menstruar a possibilidade de gravidez seja verificada.

Referências:
  • Amenorrhea -DISEASEDEX™ General Medicine Clinical Review

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>