terça-feira, 1 de novembro de 2011

Piroxicam, quando estudos clínicos podem não refletir dosagens da bula

"A clínica onde trabalho tem um programa (vade mecum) que informa sobre a dose de piroxicam que pode ser prescrita. Ele informar a prescrição máxima de até 80mg de piroxicam numa única dose diária. Eu não tenho acesso a literatura boa mesmo, vejo praticamente bula, e também não tenho tempo pra pesquisar reviews em base de dados gratuitas. Um amigo, tempo atrás, havia feito uma pesquisa pra mim no Lexicomp, e disse que a dose maxima diária era de 40mg, acima disso haveria somente aumento de reação adversa.

O que é mais seguro? Quais tipos de referência posso utilizar?"

Piroxicam é um fármaco da classe anti-inflamatórios não esteroidal (AINE) e não se encontrou estudos que demonstram alguma seletividade para COX-2 (para entender um pouco mais leia http://www.phresponde.com/2011/09/o-que-aconteceu-com-o-vioxx-e-demais.html).

Sobre a posologia do piroxicam, esbarra-se em uma situação delicada: a agência de vigilância sanitária dos Estados Unidos da América, o FDA, aprova o uso de piroxicam para duas indicações e em dosagem de 20 mg/dia, podendo ser administrada de uma única vez ou em duas vezes.

Já a ANVISA, no Brasil, permite o uso do piroxicam para mais indicações, sendo que para nenhuma delas a dose pode ultrapassar 40 mg/dia podendo ser administrada em única vez ou duas vezes ao dia.

O assunto merece cautela no que se refere às referências para decisões diferentes entre as agências. Nos artigos encontrados para edição dessa resposta, nos quais se realizam pesquisas clínicas com critérios bem conceituados cientificamente, o piroxicam é usado apenas em dosagem de 20 mg/dia e suas indicações são as aceitas pelo FDA. Ou seja, não encontrou-se nenhuma fonte a favor de dosagens superiores como permitido pela ANVISA e indicado em bulas como em alguns casos.

Infelizmente, as revistas que trazem artigos científicos ou base de dados mais atualizados e com estudos relevantes não tem circulação gratuita em sua grande maioria. Portando, os livros-textos que contém informações mais gerais se tornam as melhores opções de consultas rápidas e com certo grau de confiabilidade satisfatório. Entre esse tipo de fonte destacam-se: GOODMAN & GILMAN`S: THE PHARMACOLOGICAL BASIS OF THERAPEUTICS, DRUG INFORMATION HANDBOOK e FARMACOLOGIA CLÍNICA: FUNDAMENTOS DA TERAPÊUTICA RACIONAL

Vale ressaltar ainda que o piroxicam é um anti-inflamatório eficaz, porém contra indicado para pacientes com problemas estomacais (gastrite e úlcera) e com dengue. Seu uso deve ser feito com acompanhamento médico e, no caso de qualquer reação adversa ou dúvida, deve-se procurar o farmacêutico.

BIBLIOGRAFIA:
  • Formulário Terapêutico Nacional 2010. Ministério da Saúde. Brasilia, DF. 2010
  • Goodman & Gilman: as bases farmacológicas da terapêutica. 11. ed.. AMGH Editora Ltda.. Porto Alegre. 2010.
  • MICROMEDEX Healthcare Series

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>